Mobile Device Management: Faça você mesmo

Quando se fala em mobile device management, muitas pessoas têm em mente uma solução complexa, quase inoperável sem a presença de um especialista.

mdm em cloud computing

Em alguns contextos é assim mesmo. Em especial com soluções on premise (instaladas na infraestrutura de servidores interna da empresa). Esse modelo exige que alguém, que administre esses servidores, tenha um bom nível de conhecimento para garantir que tudo funcione a contento, sem depender de terceiros. Como os custos para implantação e manutenção são relativamente altos, acaba sendo uma adoção justificada apenas para grandes empresas.

No entanto, nos últimos anos e com a popularização das soluções em nuvem esse cenário mudou. Hoje, é possível para qualquer empresa, de qualquer tamanho, conhecer uma solução em nuvem pela internet, testar em produção antes mesmo de contratar e depois, contratar apenas para a quantidade desejada, considerando a base atual de dispositivos. Aumentou a base? Adiciona dispositivos na licença! Simples assim. A operação também tem sido muito facilitada. Com dashboards cada vez mais simples (mas não menos complexos), essas soluções atuais conseguem oferecer uma experiência melhor de uso para seus profissionais de TI, mesmo que não sejam especialistas em mobilidade. Um bom exemplo é o próprio cloud4mobile, que foi todo desenvolvido para permitir o autosserviço.

Mas afinal, o que é melhor? O modelo “faça você mesmo” ou contratar um especialista?

Continue lendo

O conteúdo foi útil? Compartilhe!

Cloud computing rompendo barreiras

cloud computing

Cloud computing não é mais algo distante do cotidiano empresarial. Ao contrário! Há poucos dias ocorreu o Gartner Symposium/ITxpo, considerado o principal evento do Gartner para executivos da área de tecnologia, no qual foi discutido amplamente o fenômeno da computação em nuvem. Segundo a consultoria, até 2020 a quantidade de empresas que não adotaram cloud computing será equivalente a quantidade de empresas que não utilizam internet hoje. Ou seja, quase nula. Se formos analisar, esse processo realmente está avançando a passos largos. Pense rapidamente, quantas aplicações web você utiliza hoje, com fins profissionais?

Continue lendo

O conteúdo foi útil? Compartilhe!