Mobile Device Management: Faça você mesmo

Quando se fala em mobile device management, muitas pessoas têm em mente uma solução complexa, quase inoperável sem a presença de um especialista.

mdm em cloud computing

Em alguns contextos é assim mesmo. Em especial com soluções on premise (instaladas na infraestrutura de servidores interna da empresa). Esse modelo exige que alguém, que administre esses servidores, tenha um bom nível de conhecimento para garantir que tudo funcione a contento, sem depender de terceiros. Como os custos para implantação e manutenção são relativamente altos, acaba sendo uma adoção justificada apenas para grandes empresas.

No entanto, nos últimos anos e com a popularização das soluções em nuvem esse cenário mudou. Hoje, é possível para qualquer empresa, de qualquer tamanho, conhecer uma solução em nuvem pela internet, testar em produção antes mesmo de contratar e depois, contratar apenas para a quantidade desejada, considerando a base atual de dispositivos. Aumentou a base? Adiciona dispositivos na licença! Simples assim. A operação também tem sido muito facilitada. Com dashboards cada vez mais simples (mas não menos complexos), essas soluções atuais conseguem oferecer uma experiência melhor de uso para seus profissionais de TI, mesmo que não sejam especialistas em mobilidade. Um bom exemplo é o próprio cloud4mobile, que foi todo desenvolvido para permitir o autosserviço.

Mas afinal, o que é melhor? O modelo “faça você mesmo” ou contratar um especialista?

Continue reading “Mobile Device Management: Faça você mesmo” »

O conteúdo foi útil? Compartilhe!

MDM e o consumo de bateria

Consumo de bateria no cloud4mobile

A utilização de um sistema de MDM (mobile device management) tem se tornado cada vez mais essencial no contexto empresarial. Em um cenário onde as pessoas estão cada vez mais conectadas, é natural que ao receber um dispositivo de qualidade o usuário se sinta tentado a utilizar diversos aplicativos, seja para o contexto profissional, seja para o contexto pessoal. Já falamos sobre isso em outras publicações. A questão em pauta é que nem sempre o usuário é capaz de realizar o melhor julgamento sobre prós e contras de uma aplicação.

Por exemplo, um aplicativo que pode colaborar para organização pessoal, pode ter deficiências em termos de segurança e deixar brechas para a captura de dados sensíveis. Um jogo, pode ser a porta de entrada para um vírus. Um aplicativo de rede social, pode consumir drasticamente recursos essenciais como bateria, memória e dados. Um serviço qualquer rodando em background pode comprometer a operação de um outro aplicativo essencial para a execução do trabalho. É principalmente para resolver esses problemas que um sistema de MDM serve. Mas nem tudo são flores. Mesmo os sistemas que são essenciais podem apresentar comportamentos inesperados, de acordo com seus recursos e configurações.

No post de hoje vamos tratar especificamente do consumo de bateria no cloud4mobile.

Continue reading “MDM e o consumo de bateria” »

O conteúdo foi útil? Compartilhe!

4 erros terríveis que você pode estar cometendo na sua estratégia de mobilidade

4 erros terríveis que você pode estar cometendo na sua estratégia de mobilidade

De olho nas tendências, muitas empresas iniciaram esforços para investir em mobilidade. No entanto, passado um período de 6 meses a 1 ano, muitas dessas iniciativas falham. Algumas são engavetadas e outras simplesmente excluídas do portfólio de projetos. Quando isso ocorre, percebe-se que muitos erros poderiam ter sido evitados. Nesse post vamos falar sobre os principais erros que prejudicam estratégias de mobilidade, em tempo para que você possa efetuar as devidas correções, evitando prejuízos para sua empresa e para a reputação da área de TI.

Continue reading “4 erros terríveis que você pode estar cometendo na sua estratégia de mobilidade” »

O conteúdo foi útil? Compartilhe!

Custo total de propriedade na mobilidade

Custo total de propriedade em iniciativas de mobilidade

Custo total de propriedade ou TCO (Total cost of ownership) é uma preocupação constante nas empresas. E é correto que seja assim. A contratação de um produto ou serviço, nunca é isolada. Sempre envolve custos diretos e indiretos relacionados, que devem ser analisados na ponta do lápis, para decidir qual a solução mais adequada para o problema que a empresa vive. Quando se trata da gestão da mobilidade empresarial, essa questão ganha ainda mais força. Se você está vivendo o desafio de planejar um projeto de mobilidade, vamos ajudar!

Antes de tudo, é importante você compreender a lógica por trás do tema. Infelizmente, não existem receitas de bolo e o que é bom para uma empresa, pode não ser para outra. Compreendendo o conceito, você poderá adaptar o seu planejamento com o objetivo de atender suas necessidades.

O primeiro passo é esclarecer a razão de uma área solicitar um projeto de mobilidade. A área de TI não pode ser confundida com um garçom, que recebe um pedido, executa e entrega um produto sem entender os motivos. A contratação de soluções baseadas em percepções equivocadas não só gera desperdício como ainda compromete o papel estratégico do setor. Ao contrário, quando a TI entende claramente a necessidade, pode colaborar de forma efetiva para buscar soluções adequadas que resolvam o problema, sem desperdícios.

Para ilustrar, vamos utilizar um exemplo de uma área de vendas que deseja adquirir um aplicativo para automação de sua equipe. Nesse contexto, a TI pode esclarecer alguns aspectos, como: Continue reading “Custo total de propriedade na mobilidade” »

O conteúdo foi útil? Compartilhe!