Mobile Device Management: Faça você mesmo

Quando se fala em mobile device management, muitas pessoas têm em mente uma solução complexa, quase inoperável sem a presença de um especialista.

mdm em cloud computing

Em alguns contextos é assim mesmo. Em especial com soluções on premise (instaladas na infraestrutura de servidores interna da empresa). Esse modelo exige que alguém, que administre esses servidores, tenha um bom nível de conhecimento para garantir que tudo funcione a contento, sem depender de terceiros. Como os custos para implantação e manutenção são relativamente altos, acaba sendo uma adoção justificada apenas para grandes empresas.

No entanto, nos últimos anos e com a popularização das soluções em nuvem esse cenário mudou. Hoje, é possível para qualquer empresa, de qualquer tamanho, conhecer uma solução em nuvem pela internet, testar em produção antes mesmo de contratar e depois, contratar apenas para a quantidade desejada, considerando a base atual de dispositivos. Aumentou a base? Adiciona dispositivos na licença! Simples assim. A operação também tem sido muito facilitada. Com dashboards cada vez mais simples (mas não menos complexos), essas soluções atuais conseguem oferecer uma experiência melhor de uso para seus profissionais de TI, mesmo que não sejam especialistas em mobilidade. Um bom exemplo é o próprio cloud4mobile, que foi todo desenvolvido para permitir o autosserviço.

Mas afinal, o que é melhor? O modelo “faça você mesmo” ou contratar um especialista?

Continue lendo

O conteúdo foi útil? Compartilhe!

Melhores práticas de mobilidade do Google

melhores práticas de mobilidade no google

Acreditamos que o Google sabe muito bem cuidar de sua própria segurança virtual. Então, vamos analisar suas melhores práticas de mobilidade e ver se podemos aprender algo com o gigante da tecnologia. A empresa está empregando 61.000 pessoas em todo o mundo, que certamente utilizam dispositivos móveis no trabalho. Assim, a empresa possui dados e casos relevantes para compartilhar.

O Google lançou recentemente um novo white paper, intitulado simplesmente, Mobility Best Practice, Tiered Access at Google, que destaca sua abordagem de três níveis para segurança móvel. O white paper diz que sua abordagem permite que eles reforcem as políticas de segurança e sejam mais flexíveis em vez de apenas bloquear ou dar acesso a serviços corporativos com base no que é conhecido sobre um dispositivo e usuário.”Em contraste com os modelos tradicionais, um acesso em camadas fornece mais controle granular”, de acordo com o white paper. “O nível de acesso dado a um único usuário ou a um único dispositivo pode mudar ao longo do tempo com base nas medições do dispositivo, permitindo que a segurança defina uma política de acesso que considere desvios do estado do dispositivo pretendido”.

O modelo consiste nos três níveis seguintes: Continue lendo

O conteúdo foi útil? Compartilhe!